Programa de Residência para Investimento na Arábia Saudita

0 13

A Arábia Saudita é o terceiro país do Golfo, em nove meses, a introduzir um “visto gold”. As residências permanentes começam com um investimento de € 187.000, enquanto as residências renováveis a um ano estão disponíveis a partir de € 23.000. Encontrar uma versão em inglês deste artigo aqui

O novo programa de “Residência Premium” da Arábia Saudita- aprovado em maio- está agora aberto para inscrições, através de um site administrado pelo governo.

Segundo o plano, os estrangeiros poderão comprar imóveis, contratar funcionários, gerir negócios, entrar e sair quando bem entenderem, além de financiarem permissões de residência para os seus familiares, tudo isso sem um apoio saudita, conforme seria necessário, tal como revela os relatórios da Bloomberg . É necessário, no entanto, ter um registo criminal limpo e um histórico de saúde atualizado, além de conseguir demonstrar solvência financeira. Caso reúna todas essas condições, o programa está aberto a candidatos com pelo menos 21 anos de idade.

O plano “garante que residentes e expatriados- incluindo aqueles que viveram no reino por décadas- são uma parte ativa da economia da Arábia Saudita. Isto fortalecerá as receitas do Estado e apoiará fortemente a economia saudita ”, disse o ministro da Economia, Mohammed Al-Tuwaijri, à Bloomberg.

 

Com esse plano, os estrangeiros podem comprar imóveis, trabalhar, administrar empresas, ir e vir como quiserem e patrocinar permissões de residência para suas famílias.

Sob a lei saudita, funcionários e trabalhadores estrangeiros têm estado sujeitos a consideráveis ​​taxas mensais, com o objetivo de incentivar as empresas privadas a preferirem funcionários locais, em relação aos emigrantes. Os estrangeiros residentes, além disso, precisam de apoios locais e permissão para deixar o país, não podendo também possuir propriedades. Essas desvantagens legislativas, juntamente com um crescimento fraco da produção económica (-0,7% em 2017), impulsionaram a saída de várias centenas de milhares de emigrantes do país, nos últimos anos, uma tendência que o jovem governante espera reverter.

Objetivos de receitas elevados- mas talvez não irrealistas

O programa- proposto pela primeira vez pelo príncipe herdeiro e por Mohammed bin Salman- faz parte de uma estratégia mais ampla para aumentar o investimento estrangeiro e reduzir a dependência da economia em relação ao petróleo. Ao pensar na ideia, em 2016, o monarca estimou que o esquema poderia arrecadar cerca de US$ 10 bilhões por ano, até 2020.

Embora essa estimativa possa parecer ambiciosa (mesmo os programas europeus mais populares lutam para alcançar um bilhão de euros em receita anual), o visto de ouro da Arábia Saudita tem um grupo de clientes integrado; milhares de árabes ricos, que vivem no país há décadas, e 12 milhões de estrangeiros no total, mais de um terço da população atual.

Numa região historicamente caracterizada pelo ceticismo, em relação à influência estrangeira, e às exigências de residência hiper-restritivas, a Arábia Saudita torna-se o último país a confirmar uma tendência de aligeiramento da política de imigração; em setembro do ano passado, tanto os Emirados Árabes Unidos quanto o Qatar introduziram vistos de residência baseados na lei para expatriados.

Comentários
WhatsApp chat