Vantagens da cidadania em Santa Lucia

0 157

Este resumo explicará por que o segundo passaporte e a cidadania de Santa Lucia para investidores é uma aquisição extremamente valiosa. Você aprenderá sobre a vida em um país onde se fomenta a pesca para salvar um ecossistema de recife de coral e se apreciam os benefícios da energia solar. Falaremos sobre uma nova oportunidade para fazer viagens sem visto para Taiwan e sobre a construção de complexos modernos. O resumo também abrange temas como as relações de boa vizinhança entre as jurisdições do Caribe e outros países da região, a luta contra o crime, a comunicação, os transportes e a qualidade dos serviços médicos.

Na legislação de muitos países existem disposições que permitem conceder a cidadania a estrangeiros por serviços extraordinários para o país receptor. Os novos passaportes para estrangeiros, muitas vezes, só são fornecidos com a aprovação do governo e/ou do primeiro-ministro (presidente). Inclusive países como os Estados Unidos da América e o Reino Unido, frequentemente fornecem cidadania e passaportes para pessoas que possam ser úteis para essas nações, por exemplo, atletas olímpicos com grande potencial. Nestes casos, cada pedido é considerado de forma individual e as decisões de outorgá-los são tomadas relativamente rápido.

Mas não é necessário ser um atleta excepcional para obter uma segunda cidadania e passaporte rapidamente. Em alguns países, existem programas de cidadania econômica que geralmente exigem investimentos em negócios ou bens imobiliários aprovados pelo governo, ou através de contribuições subsidiadas ou de doações.

Atualmente, a segunda cidadania por investimento mais acessível e barata é oferecida por dois países do Caribe: Santa Lucia e a Comunidade da Dominica. Para obter um novo passaporte nestes países é exigido que os estrangeiros invistam 100 mil USD (sem taxas ou custos adicionais).

Embora esta taxa seja atraente, não é o único argumento favorável para solicitar a cidadania por investimento de Santa Lucia. Continue lendo e você vai descobrir mais vantagens que fazem com que o passaporte desta ilha seja ainda mais atraente, mesmo em comparação com o da Comunidade da Dominica.

 

Medicina de alta qualidade

Antes de começar o trâmite do segundo passaporte para investidores em Santa Lucia, e de se mudar para esta paradisíaca ilha tropical depois de ter obtido o mesmo, muitos potenciais imigrantes analisam cuidadosamente a qualidade do atendimento em saúde no país caribenho.

O nível da medicina neste pequeno país melhora a cada dia. A Agência de Desenvolvimento Internacional, RAFFA, entregou um banco de sangue móvel no país do Caribe, que será usado para fornecer assistência médica durante catástrofes e outras emergências.

Estas ferramentas são muito úteis e relevantes em países como este, que são constantemente ameaçados por furacões e tempestades. Felizmente, os bancos de sangue móveis aumentaram a comunicação dentro do país e, como resultado, podem ser muito úteis em condições climáticas severas.

Faz tempo que a Agência de Desenvolvimento Internacional RAFFA se dedica a fornecer gratuitamente equipamento médico e informações valiosas aos países em desenvolvimento, em particular, ao Caribe. Já foram implementados projetos semelhantes em Antígua e Barbuda, Granada e Jamaica. Santa Lucia tornou-se a quarta jurisdição insular do Caribe a se beneficiar com essa assistência.

 

Combate eficaz contra o crime

As autoridades de Santa Lucia prestam muita atenção no combate ao crime com o fim de garantir a segurança física e financeira tanto para os cidadãos nativos do país, como para os cidadãos naturalizados.

Por isso, representantes do Ministério de Segurança Nacional de Santa Lucia, no início deste verão, informaram que o governo está estudando a possibilidade de criar um laboratório forense para combater o crime cibernético. Espera-se que com a implementação desta iniciativa, os oficiais locais encarregados de fazer cumprir a lei contem com a ajuda de colegas do Ministério da Justiça da Jamaica.

Além disso, o primeiro-ministro do país, Allen Chastanet, afirmou que é necessário acelerar a sentença de acusações ou absolvições por delitos. O político disse que a otimização do sistema de justiça e a garantia do estado de direito são tarefas de extrema importância para o seu governo.

O primeiro-ministro motivou essa decisão ao dizer que a vida de muitos cidadãos do país foram afetadas por diversos crimes, mas os culpados ainda não receberam nenhuma condenação porque os julgamentos em Santa Lucia levam muito tempo. O político propõe resolver esse problema atualizando a infraestrutura dos tribunais, capacitando funcionários e criando um laboratório forense certificado. Ao mesmo tempo, também ressaltou que é importante não apenas realizar o trabalho necessário, mas também fazê-lo de uma forma economicamente eficaz.

Certamente, Chastanet também presta especial atenção ao desenvolvimento do programa de cidadania econômica de Santa Lucia.

O trabalho também é feito a nível regional. No mês passado, Santa Lucia entrou para os cinco países da Comunidade do Caribe (CARICOM), signatários do tratado de extradição mútua de supostos criminosos e condenados no Caribe.

O tratado pretende tornar-se um dos principais instrumentos para manter a segurança regional. Foi projetado para melhorar a cooperação entre os estados membros da CARICOM na luta contra o crime. Além de Santa Lucia, os signatários foram Dominica, Guiana, Granada e a Federação de São Cristóvão e Nevis.

Espera-se que o tratado crie uma plataforma eficaz sobre a base da Comunidade do Caribe para prender e transferir as pessoas solicitadas, com o objetivo de processar um crime ou executar uma sentença de privação de liberdade, mesmo quando essas pessoas solicitadas tenham tentado escapar da justiça fugindo para outro país.


Mapa da ilha de Santa Lucia

 

Paraíso tropical com uma nova rota aérea

Os titulares em potencial da cidadania econômica de Santa Lucia que pensam em se mudar para este país, também devem ter em conta o fato de que a acessibilidade do transporte também está em constante melhoria. No ano passado começou a funcionar uma nova companhia aérea em Santa Lucia.

Trata-se de uma companhia aérea recém formada chamada Trans Island Air 2000 (TIA). Esta companhia aérea charter, de propriedade privada e com sede em Santa Lucia, começou o seu serviço com passageiros que saem do aeroporto internacional de Hewanorra para Granada, Barbados, São Vicente e Granadinas, Martinica, assim como para a Comunidade da Dominica.

Representantes do Ministério do Turismo e Aviação Civil de Santa Lucia observaram que esta é uma iniciativa muito importante, pois irá aumentar a concorrência entre as empresas de transporte aéreo da região, acelerar as viagens aéreas, ampliar o número de rotas operacionais e fará com que as viagens de avião sejam ainda mais acessíveis. O primeiro voo transatlântico da Trans Island Air 2000 ocorreu no dia 3 de julho. No trajeto de Santa Lucia para Granada, partiu de uma delegação do governo de Santa Lucia, liderada pelo primeiro-ministro Chastanet.

A companhia também fará voos de carga, para os quais já foi comprado o avião de carga Beech King Air. Além disso, no final de novembro a Trans Island Air 2000 mudou de voos charter para um modelo comercial de voos regulares. No futuro, a companhia tem a intenção de organizar voos para Londres, Atlanta e Nova York.

 

Cuidados com a flora e a fauna

Para aqueles que desejam solicitar a cidadania por investimento em Santa Lucia, é importante observar que este país é um dos poucos onde se fomenta a pesca para salvar os recifes. As autoridades locais, recentemente, deram luz verde à captura em massa do peixe-leão (peixe-leão listrado), cuja propagação se transformou em um verdadeiro desastre natural para outros representantes da vida marinha do Mar do Caribe, e os recifes de corais sofrem particularmente este mal.

Atualmente, cada vez mais interessados estão seguindo os passos necessários para combater a rápida expansão da população e o alcance deste peixe. Então, os populares centros de turismo locais de Anse Chastanet e Jade Mountain começaram a comprar ativamente o peixe-leão dos pescadores locais para servir pratos com o peixe para os seus visitantes. Ambos os centros lançaram uma iniciativa chamada Conservation Cuisine (Culinária Conservadora), pela qual oferecem esse peixe como uma iguaria.

Os chefs dos restaurantes dos dois centros turísticos concordam que é possível preparar pratos deliciosos e saudáveis com base nele, e o seu sabor é uma mistura entre perca e dourado. Os restaurantes dos complexos já prepararam menus especiais, que incluem pratos deste peixe e vinhos para harmonização, enfatizando o sabor do peixe-leão. Os pratos gourmet oferecidos incluem sashimi, torta crocante, assim como o peixe-leão frito e assado.

Ao promover sua captura por parte de moradores locais, não só se espera que a nova iniciativa ajude a controlar de forma efetiva a reprodução dos representantes destas espécies invasoras, mas também a satisfazer as necessidades dos restaurantes que atendem os turistas e, além disso, também a criar novos postos de trabalho ao apoiar as comunidades pesqueiras locais. Esta iniciativa também deve preservar os recifes ao redor de Santa Lucia, que atraem muitos mergulhadores ao país.

Com relação ao mergulho em águas quentes, os especialistas perceberão que a população dos peixes em questão no Mar do Caribe está crescendo perigosamente rápido. Isso leva a uma diminuição no número de representantes de espécies de peixes nativos, que são muito importantes para muitos sistemas de recifes de corais, formando uma simbiose com eles. Ao mesmo tempo, apesar da crescente população de peixes-leão, seu consumo se mantém em um nível baixo. Isso se deve, em parte, à prevalência da opinião de que este peixe é venenoso e não pode ser consumido. De fato, só os espinhos são venenosos, e se forem processados de forma adequada, podem ser removidos de forma segura e fácil.

Para erradicar tais conceitos falsos, as autoridades de Santa Lucia e representantes do setor privado organizam treinamentos para representantes das comunidades de pescadores locais sobre o manuseio seguro dos peixes e seu processamento. Além disso, serão entregues luvas especiais para o processamento de peixes e armadilhas especiais para aumentar a eficiência de sua captura.

 

Um país em harmonia com seus vizinhos

As autoridades de Santa Lucia consideram de grande importância construir relações de boa vizinhança com outros países da região do Caribe, fazendo de sua jurisdição um lugar ainda mais atraente para se viver, voltado para as pessoas que valorizam a paz e uma vida tranquila.

Como prova da validade desta declaração, vale dizer que o Governo de Santa Lúcia celebrou acordos sobre a delimitação das fronteiras marítimas com Barbados, bem como com São Vicente e Granadinas. A assinatura dos documentos aconteceu durante a Conferência de Chefes de Governo da CARICOM.

A assinatura destes acordos é resultado das negociações sobre a definição de limites marítimos entre Santa Lucia e Barbados em março de 2016, e entre Santa Lucia e São Vicente e Granadinas em maio de 2017. Estas negociações foram realizadas em conformidade com as disposições da Convenção das Nações Unidas sobre o Direito de Mares, assinadas por três estados.

A Convenção da ONU concede a estes países o direito de exigir que a jurisdição da zona econômica exclusiva de cada um deles se estenda a uma distância de 200 milhas náuticas da costa. Porém, como os países estão a menos de 400 milhas náuticas de distância um do outro, era necessário distinguir suas fronteiras marítimas, aplicando o princípio da equidistância. Todas as questões problemáticas foram resolvidas com sucesso através de negociações bem sucedidas e um notável espírito de cooperação.

As vantagens da energia solar

Os pequenos estados insulares do Caribe, incluindo aqueles que implementaram programas de cidadania econômica, em sua maioria, carecem de importantes reservas de hidrocarbonetos fósseis. Isso os obriga a garantir sua segurança energética através do desenvolvimento de energias alternativas.

Santa Lucia não é uma exceção. Caracterizada por uma alta incidência de raios solares, esta pequena ilha do Caribe desfruta do crescente interesse das empresas de energia que desenvolvem projetos para implantar instalações de geração de energias renováveis (incluindo usinas de energia solar) em todo o mundo, e oferecem apoio a todos aqueles que desejam abandonar os combustíveis fósseis.

O resultado deste interesse se reflete cada vez mais na implementação bem-sucedida de projetos reais no campo das energias alternativas. Por exemplo, neste verão, a companhia elétrica de Santa Lucia, St Lucia Electricity Services Limited (LUCELEC), assinou um acordo de parceria com o grupo de engenharia espanhol Grupotec. Este pressupõe a implementação de um projeto de energia amigável ao meio ambiente no país.

Os sócios, com o apoio do Ministério de Infra-estrutura, Portos, Energia e Trabalho de Santa Lucia, criaram uma planta de energia solar com capacidade de geração de 3 MW. Ficará localizada ao norte do Aeroporto Internacional de Hewanorra, em Vieux-Fort.

O projeto para criar uma planta de tão baixa potência (ém comparação, a planta de energia solar de maior potência do mundo chama-se Tengger Desert Solar Park e fica na China, com uma capacidade de 1500 megawatts ou 1,5 gigawatts) tem um impacto significativo no setor de energia do país. O projeto foi lançado em setembro do ano passado.

O comunicado oficial de imprensa dos parceiros informa que, quando conectada a uma rede elétrica central, uma nova planta solar que consiste em 14.900 painéis fotovoltaicos, irá gerar energia suficiente para suprir a necessidade de quase 3.500 prédios residenciais. Simultaneamente, a planta vai compensar a emissão de mais de 3,8 mil toneladas de dióxido de carbono (CO2) para a atmosfera.

Minimizar a quantidade de dióxido de carbono que entra na atmosfera é extremamente importante para os pequenos estados insulares como Santa Lucia. Afinal, de acordo com especialistas, se o volume de emissões deste gás for mantido no nível atual, poderia aumentar a temperatura global em 5 graus Celsius, o que contribuirá para um aumento no nível dos mares e oceanos na ordem de 9 cm a 88 cm (de acordo com a região). Isso, por sua vez, poderia provocar a inundação de uma parte do território de Santa Lucia. Um aumento da temperatura global também contribui para a formação da erosão, a salinização do solo e a propagação de doenças infecciosas.

Segundo os autores, o projeto irá pavimentar o caminho para a rápida transição de Santa Lucia para a energia alternativa e o uso de seu rico potencial em termos de fontes acessíveis de energia solar renovável. Os analistas também enfatizam que o projeto de criar uma planta de energia solar desta magnitude não tem precedentes neste país. Sua implementação bem-sucedida é particularmente importante dado o fato de que os geradores a diesel agora representam mais de 99 % da energia elétrica total produzida na ilha.

 

Economia de dinheiro através da construção de novos resorts

Para criar postos de trabalho adicionais e melhorar o nível de vida no país, as autoridades de Santa Lucia estão constantemente desenvolvendo o turismo, promovendo, em todos os sentidos, projetos de investimento para construir novos complexos e melhorar os que já foram colocadas em funcionamento.

Representantes da The Ritz Carlton (subsidiária da Marriott International) assinaram um acordo de cooperação com a Range Developments e o Governo de Santa Lucia para acelerar o projeto e a construção do novo complexo de luxo em Black Bay, no extremo sul da ilha.

Em nome de Marriott/Ritz Carlton, o acordo foi assinado pelo vice-presidente regional da Marriott International, Alejandro Acevedo. A Range Developments foi representada pelo vice-presidente do conselho de administração, Mohammed Assar. Em nome do Governo de Santa Lucia assinou o primeiro-ministro Allen Chastanet.

O novo complexo, cujo nome oficial é Black Bay Master Development, consistirá em um hotel da marca Ritz Carlton com 180 quartos e um conjunto de moradias. Espera-se que o hotel Ritz – Carlton seja inaugurado em Santa Lucia em 2021. Contará com várias piscinas, um spa, uma variedade de restaurantes e uma espaçosa sala de conferências. O hotel, um investimento através do qual os estrangeiros poderão formalizar a cidadania econômica de Santa Lucia, será localizado em um terreno de 72,3 hectares.

O local fica na costa sudoeste da ilha e é banhado pelas águas do Mar do Caribe. Além disso, está perto do aeroporto internacional e do mundialmente famoso cenário do patrimônio natural: as Montanhas Pitons. Espera-se que este projeto gere cerca de 500 postos de trabalho temporários durante a construção, bem como aproximadamente o mesmo número de posições permanentes uma vez que o complexo entre em funcionamento.

O complexo será construído em várias etapas. Depois de colocado em funcionamento, será operado pela Ritz Carlton, que atualmente administra mais de cem hotéis e resorts de luxo em 30 países e territórios, incluindo vários estabelecimentos no Caribe: Aruba e as Ilhas Cayman.

A implementação direta do trabalho de construção será realizada pela empresa Range Developments, que já construiu e, atualmente, participa em vários complexos semelhantes na região.

Este é o segundo projeto de um grande complexo turístico que foi anunciado na ilha no verão de 2017. Anteriormente, foi apresentado o projeto de desenvolvimento Fairmont Saint Lucia. Este complexo, depois de entrar em funcionamento, operará sob a marca mundialmente famosa Fairmont Hotels and Resorts. Será o primeiro projeto de desenvolvimento de tal plano para a empresa hoteleira Fairmont.

De acordo com especialistas, para implementar o projeto, será necessário um investimento de 220 milhões de dólares norte-americanos. Foi atribuída uma parcela de 10,1 hectares para o desenvolvimento, que cobre uma linha costeira com cerca de 600 metros de comprimento.

A implantação do novo projeto será próximo da baía de Sunset Bay, na costa sudoeste de Santa Lucia. O trabalho já começou. A abertura do complexo está prevista para o final de 2019. Incluirá 120 quartos e 40 moradias privadas, criadas com materiais ecológicos. O novo complexo será o segundo estabelecimento deste tipo que opera sob a marca Fairmont Hotels and Resorts no Caribe. Irá se juntar a uma instalação coletiva de alojamento turístico chamada Fairmont Royal Pavilion, que opera em Barbados.

A partir das janelas dos quartos do Fairmont Saint Luci, é possível apreciar uma bela vista da baía. O complexo contará com quatro restaurantes e bares, um spa de 900 metros quadrados, uma piscina principal, uma piscina para crianças e uma para adultos, uma marina privada com lugar para iates de luxo e espaços públicos adicionais com infraestrutura funcional.

O complexo poderá oferecer uma combinação única de design excepcional, excelente localização, luxo e hospitalidade. Além disso, você pode desfrutar de paisagens naturais, vistas impressionantes, praias com palmeiras, as magníficas cachoeiras, as vastas florestas tropicais virgens, o povo amigável e a cultura autêntica, o que causará uma impressão inesquecível, até mesmo para os viajantes mais exigentes.

O programador irá se basear em métodos sustentáveis de construção de complexos imobiliários. Esta é uma prática muito comum no Caribe, onde o estilo arquitetônico funcional da arquitetura é muito popular.

 

Facilidade de viajar para Taiwan

Com relação a investir em complexos imobiliários, cabe assinalar que as autoridades de Santa Lucia estão usando um método muito eficaz para atrair turistas e investidores adicionais ao país. Introduziram unilateralmente um regime de isenção de visto para cidadãos de outros países, aumentando o número de convidados possíveis. Em troca, muitos países também incorporaram um regime sem vistos para os cidadãos de Santa Lucia.

Por isso, neste verão, as autoridades de Taiwan liberaram aos cidadãos de Santa Lucia e outros países do Caribe o direito de entrar no país sem visto. Isto foi anunciado pelo Ministério de Assuntos Estrangeiros da República da China (Taiwan). As autoridades do país asiático deram este passo para demonstrar a proximidade entre a República da China (Taiwan) e seus aliados diplomáticos na América Latina e no Caribe, atuando sobre os princípios do benefício bilateral e a reciprocidade.

O Ministério de Assuntos Exteriores de Taiwan anunciou a introdução de um regime sem vistos para os cidadãos de 10 de seus aliados diplomáticos com efeito imediato. Estes 10 aliados diplomáticos já ofereceram um regime sem vistos para os cidadãos de Taiwan e foram incluídos no programa de Taiwan para o fornecimento de vistos eletrônicos (e-Visa) para estrangeiros desde o seu lançamento em 12 de janeiro de 2016.

Quanto à Santa Lucia, aos cidadãos desse país é oferecida a oportunidade de permanecer no território de Taiwan por até 30 dias por ano. Estes cidadãos devem observar três condições:

  1. Ter um passaporte padrão vigente para os próximos seis meses;
  2. Ao entrar no país, devem apresentar uma passagem de voo/embarcação de saída ou, se Taiwan for um país de trânsito, uma passagem para o voo/embarcação de transporte e um visto válido para o país de destino;
  3. Não ter antecedentes criminais, o que deve ser confirmado pelo Departamento de Imigração no momento da sua chegada ao aeroporto ou porto de Taiwan.

Os especialistas esperam que a incorporação de um regime sem vistos dê lugar a inúmeros benefícios. Em particular, este passo deveria levar a um aumento do turismo, como a intensificação dos intercâmbios comerciais, empresariais e culturais em vários níveis.

Comentários
WhatsApp chat