A magia dos bancos suíços

0 1.097

Não seria surpreendente pensar que o setor bancário suíço chegou ao fim, mas, ao contrário, hoje em dia a Suíça ainda é uma das melhores jurisdições bancárias do mundo. Embora tenhamos visto o colapso do sistema bancário em países como Chipre e Andorra, o fechamento de muitos pequenos bancos em todo o mundo, bem como a proximidade do colapso do sistema bancário dos EUA em 2008 e, recentemente, na Letônia, o fechamento destes tipos de bancos, no caso suíço, o setor continua a ser forte. Aqui estão algumas razões para esse sucesso.

 

Estabilidade política e neutralidade

A Suíça é uma nação próspera, com um produto interno bruto per capita superior à maioria das nações da Europa Ocidental. Além disso, o valor do franco suíço (CHF) tem sido relativamente estável em comparação com outras moedas. Em 2009, o setor financeiro cobria 11,6% do PIB da Suíça e aproximadamente 195.000 pessoas foram contratadas (136.000 das quais trabalham no setor bancário); isso representa cerca de 5,6% da força de trabalho suíça total. Além disso, os bancos suíços empregam aproximadamente 103.000 pessoas no exterior.

A neutralidade e a soberania nacional da Suíça, amplamente reconhecidas por outras nações, promoveram um ambiente estável, no qual o setor bancário conseguiu se desenvolver e prosperar. A Suíça manteve a sua neutralidade durante as duas guerras mundiais, não é um paìs membro da União Europeia e nem mesmo foi das Nações Unidas até o ano de 2002.

A Suíça ainda mantém uma posição neutra, e mesmo que houvesse outra guerra mundial, é provável que todas as partes envolvidas continuem a usar este país como destino bancário. A Suíça ainda tem enormes reservas de ouro e inúmeros gestores de ativos, bem como profissionais bancários, todos altamente capacitados.

O treinamento e a confiabilidade dos funcionários e consultores do setor bancário suíço resultam em poucos casos de fraude ou roubo cometidos por funcionários neste país.

Atualmente, aproximadamente um terço dos recursos globais que são mantidos fora de seu país de origem (por vezes chamados de fundos “offshore”) estão alocados na Suíça. Em 2001, os bancos suíços administraram U$ 2,6 trilhões. No ano seguinte, eles movimentaram U$ 400 bilhões a menos, uma queda que foi atribuída ao declínio do mercado, bem como às regulamentações bancárias mais rígidas da Suíça. Em 2007, esse número subiu para aproximadamente U$ 2,7 trilhões, um recorde!

 

Nunca houve um colapso bancário na história da Suíça

Desde 2008, nunca houve um colapso bancário na história da Suíça, desde os “Dois Grandes Bancos” até pequenos bancos que atendem às necessidades de uma única comunidade ou de alguns clientes especiais. No entanto, desde a Segunda Guerra Mundial, nenhum deles entrou em colapso, foi fechado ou liquidado resultando em perda de dinheiro dos investidores. Isso ocorre porque os bancos suíços são tradicionalmente muito conservadores na administração do dinheiro e mantêm grandes reservas de ouro.

A União dos Bancos Suíços (UBS) foi atacada pelo governo dos EUA por ajudar cidadãos americanos a sonegar impostos. Nesse escândalo, o UBS foi multado, mas isso não afetou os recursos de seus investidores.

O UBS e o grupo Credit Suisse ocupam as duas primeiras posições, respectivamente, como os maiores bancos suíços e respondem por cerca de 50% de todos os depósitos na Suíça. Cada um tem uma ampla rede de agências em todo o país e na maioria dos centros internacionais.

Devido ao seu tamanho e complexidade, o UBS e o Credit Suisse estão sujeitos a um grau adicional de supervisão pela Comissão Federal de Bancos.

 

 

 

Panorama dos Alpes suíços, Lucerna, Suíça

Bancos suíços ainda são confidenciais para países europeus

Embora a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) obrigou a Suíça a fazer parte dos relatórios padrão, este país precisa apenas informar a residência fiscal do indivíduo, de modo que se o indivíduo é residente fiscal em um país que não tribute a renda de origem estrangeira, como o Panamá, não será um problema informar esse país. Outras empresas que sejam consideradas empresas operacionais (ou seja, com 50% ou mais do capital em operação) se reportarão ao local de constituição.

Pelo contrário, o sigilo ainda continua sendo uma parte muito importante da legislação suíça. A Lei Bancária de 1934 considera um ato criminoso os bancos suíços revelarem o nome do titular da conta. O sigilo bancário suíço protege a privacidade dos clientes do banco; as proteções concedidas pela lei suíça são semelhantes à relação confidencial que existe entre médicos e pacientes ou entre advogados e seus clientes. O governo suíço considera que o direito à privacidade é um princípio fundamental que deve ser protegido por todos os governos democráticos. Embora a privacidade esteja protegida, na prática, todas as contas bancárias são vinculadas a um indivíduo identificado. Além disso, o sigilo bancário não é absoluto: um juiz ou promotor pode emitir uma “ordem de remoção” para conceder à ordem pública acesso à informações relevantes para uma investigação criminal.

Como abrir uma conta em um banco suíço

Abrir uma conta bancária na Suíça não é uma tarefa impossível se você tiver um bom assessor, de preferência se este último trabalhar com o sistema de pre-approval.

Existem inúmeros gestores de ativos que podem ajudá-lo a obter uma conta em um banco suíço e gerenciar seus ativos, essas pessoas geralmente possuem licenças suíças e são altamente profissionais. Da mesma forma, existe uma rede privada de bancos suíços onde é possível abrir uma conta a partir de U$ 250.000.

Embora os bancos suíços façam parte dos sistemas de relatórios CRS (Padrão de Declaração Comum), existem muitas formas legais de abrir contas que não estão sujeitas ao CRS e ao UBO (Ultimate Beneficial Owner – Proprietário Beneficiário Final).

Uma opção interessante disponível é manter ouro físico nos cofres dos bancos suiços e pedir um empréstimo usando como garantia o ouro em títulos e outras carteiras, cobrindo assim o risco.

Se você quiser informações sobre como abrir uma conta na Suíça, entre em contato conosco e obtenha uma consulta gratuita.

 

 

 

 

Comentários
WhatsApp chat