Criptomoedas, como investir de forma inteligente?

0 21

Depois de quase uma década do surgimento do Bitcoin a SEC anunciou a criação de um novo cargo de alto nível para coordenar os esforços da agência em relação às criptomoedas e ofertas iniciais de moedas (ICOs, em sua sigla em inglês).

Como de costume, o governo demorou a participar, mas, pelo menos, tomou certos posiconamentos.

A boa notícia é que a pessoa escolhida pela SEC para ocupar esse cargo é muito perspicaz. Trata-se de uma mulher com formação na área de engenharia que, além disso, graduou-se em licenciatura em Direito em Goergetown, e o mais importante é o fato de que entende sobre criptomoedas. A má notícia ou, pelo menos, a expectativa que muitos cripto fanáticos intransigentes têm, é que uma maior supervisão por parte do governo será desfavorável para o preço das criptomoedas.

Durante o final de semana, por exemplo, a cotação de quase todas as criptomoedas importantes caiu, em parte, devido ao fato de o governo ter iniciado uma investigação sobre a manipulação dos preços de tais moedas. No entanto, as notícias sobre o fim das criptomoedas foram muito exageradas.

Os governos geralmente regulam as áreas de tecnologia, automóveis, rádio, TV e internet e, ainda que frequentemente as regulamentações ocasionem custos e inconvenientes desnecessários, elas não têm impedido a ascensão das referidas tecnologias.

O mesmo ocorrerá com o setor das criptomoedas, já que este constitui uma área de amplo uso e é preciso muita divulgação para que seja colocado um fim e, ao mesmo tempo, a SEC precisa mostrar-se a favor da inovação diante dos olhos do mundo. Somado a isso, existem muitas mega empresas que têm investido fortemente em suas próprias blockchains e tecnologias de contabilidade distribuída (DLT, em sua sigla em inglês), além disso, essas empresas possuem uma influência política considerável que evita que sejam censuradas pela SEC.

(DLT é o termo geral para descrever as diversas tecnologias que distribuem informações de transações e registros a diversos participantes. A tecnologia blockchain é um tipo de DLT).

De qualquer forma, a verdadeira ameaça para a maioria dos tokens e criptomoedas que existem atualmente é o avanço vertiginoso da tecnologia em si.

Considere o Bitcoin, que, sem dúvida, é a criptomoeda mais popular. Esta moeda foi lançada originalmente em 2009 como uma forma de dinheiro eletrônico para realizar pagamentos seguros através da internet sem ter que ir a um banco ou instituição financeira. No entanto, o próprio software Bitcoin limita seu rendimento em apenas umas poucas transações por segundo.

Visa e Mastercard, por sua vez, podem lidar com dezenas de milhares de transações por segundo e já existem tecnologias emergentes no setor crypto que competem a esse nível.

A partir de uma perspectiva tecnológica, o Bitcoin está na era medieval digital e é difícil imaginar que a tecnologia menos eficiente do setor continuará sendo a mais valorizada por tempo indeterminado.

Na área de tecnologia, isso tem vários precedentes. No início da década de 90, quando a internet estava em seus primórdios, a “World Wide Web” não existia realmente. Costumava-se usar algo chamado “Gopher”, uma versão da web baseada em modo de texto e menus. Em seguida, um grupo de engenheiros aperfeiçoou o protocolo de transferência de hipertexto, “http“, e surgiu a “World Wide Web”, assim como conhecemos hoje. Como a experiência do usuário foi muito melhor com a implementação de http, em pouco tempo o “Gopher” tornou-se obsoleto e praticamente desapareceu. O mesmo pode acontecer com o setor cripto.


De qualquer forma, a verdadeira ameaça para a maioria dos tokens e criptomoedas que existem atualmente é o avanço vertiginoso da tecnologia em si.

E isso é importante porque, conforme as tecnologias DLT continuem a se desenvolver, é possível que quase todas as criptomoedas e tokens que funcionam atualmente desapareçam. De fato, algumas das DLTs mais recentes nem sequer operam tokens.

Hyperledger, por exemplo, é um projeto dirigido pela Fundação Linux em parceria com dezenas de empresas importantes como a IBM, Accenture, Cisco, Deutsche Bank, Intel e American Express. Eles já lançaram uma série de serviços DLT e nenhuma tecnologia DLT Hyperledger vem com uma moeda nativa ou token. Em outras palavras, trata-se de um blockchain realmente avançado, sem o Bitcoin. O uso de Hyperledger se aplica ao armazenamento de documentos de grande alcance, às transações financeiras, aos registros de propriedade e ao sufrágio. Na verdade, no estado da Califórnia, há um candidato para o Congresso dos EUA que afirma que usará a tecnologia para permitir que seus eleitores votem diretamente para a legislação federal.

Em seguida estão os bancos, muitos dos quais estão desenvolvendo as suas próprias DLTs. JP Morgan já inaugurou uma delas, chamada de Quorum, um livro de registros distribuído em código aberto e uma plataforma de contrato inteligente que processa rapidamente transações financeiras entre uma rede fechada de participantes. Basicamente, criaram uma blockchain para modernizar a infraestrutura bancária mundial.

Então, a tecnologia cripto obsoleta não tem muitas possibilidades se considerarmos o fato de que algumas das maiores empresas do mundo estão investindo uma grande quantia de recursos para melhorá-la. E o anterior nos leva até lá, onde se encontra a verdadeira oportunidade.

As verdadeiras oportunidades

Atualmente, a maioria das conversas sobre as criptomoedas parece estar focada em qual será o próximo Bitcoin ou Ether. As pessoas ficam tentando descobrir qual é a próxima moeda ou ICO fortemente impulsionada, com a capacidade de converter 1.000 $ em 1.000.000 $, mas, provavelmente, esta já não seja a maneira correta de visualizar este setor.

Certamente, existem alguns tokens ou moedas específicas que têm utilidade real (como algumas das moedas de privacidade). Mas, novamente, à parte desse grupo seleto, é possível que as criptomoedas e os tokens mais populares de hoje sigam os passos do Gopher. Isso não vai acontecer imediatamente, mas nos próximos 5 ou 10 anos, as moedas e tokens inferiores ou supérfluos podem ser facilmente substituídas por uma tecnologia superior.

Portanto, em vez de especular sobre a próxima ICO popular, ou adivinhar, aproveitando ao máximo as oportunidades em Shitcoin, TrumpCoin, ou Fuzzballs, se elas poderão se tornar uma criptomoeda milionária, as verdadeiras fortunas a serem obtidas encontram-se na aplicação destas tecnologias. Seja nos setores de indústria, no mercado de imóveis e seguros, em empresas de remessas globais, ou seja no setor de cuidados de saúde; existem milhares e milhares de formas convincentes e lucrativas de aplicar as tecnologias DLT em várias indústrias de todo o mundo. Foi assim que aconteceu com a internet. Uma vez que a tecnologia se desenvolveu, aqueles que criaram os protocolos TCP/IP e HTTP na verdade não foram os que mais lucraram. Os que mais lucraram foram os empresários (e investidores que os apoiaram), que aplicaram a tecnologia de tal forma que produziram uma mudança fundamental na maneira de fazer negócios.

Agora mesmo, com as tecnologias DLT, essas oportunidades estão abertas.

Comentários
WhatsApp chat