Sócrates e o ciberespaço ou Filosofia do anarcocapitalismo

0 22

Sócrates foi morto pelo povo de Atenas apenas por questionar os fundamentos das crenças da época, questionamento que foi feito usando um método chamado socrático. O filósofo levantou questões como: “A religião é necessária?”, “O sistema democrático é de fato bom?”, “Nós precisamos realmente de um governo?” e “Por que devemos ir à guerra para servir ao Estado?”. O simples fato de questionar certos paradigmas vigentes foi o crime pelo qual o povo de Atenas condenou Sócrates a beber a cicuta, que é um veneno mortal.


Estátua de Sócrates em Atenas, Grécia

Os paradigmas de uma sociedade são todas aquelas crenças ou “verdades” tão profundamente arraigadas no inconsciente coletivo, que ninguém nem pensa em questioná-los. Um exemplo dessas crenças é a ideia de que “a democracia é uma coisa boa” e que, consequentemente, a tributação é algo necessário para financiar o Estado e manter o sistema vigente.

Nosso sistema educacional é um dos mecanismos de controle mais sutis – e, por isso, um dos mais eficazes – do Estado. Através desse maravilhoso sistema, ao mesmo tempo em que ensinamos a ler e a escrever, de passagem, inculcam-nos a ideia de que vivemos no melhor sistema político possível, sistema que todos nós conhecemos pelo nome de democracia. Segundo este sistema, todos os habitantes de países como, por exemplo, Itália, México, Espanha, EUA, entre outros, estão vivendo em uma sociedade justa, na qual a riqueza é distribuída em partes iguais entre a população. Para financiar este sistema, é necessário que todos os cidadãos cooperem através do pagamento de um tributo, ou seja, é necessário confiscar uma porção do salário de cada um dos habitantes para financiar essas indispensáveis e insubstituíveis instituições, assim como seus governos. Um conto de fadas maravilhoso, não é verdade?

Esses argumentos absurdos estão respaldados por uma ampla gama de instituições políticas e organizações não governamentais, que foram fundadas e financiadas pelas contribuições (como não poderia ser de outra forma) dos contribuintes. É claro, ninguém vai se surpreender se o sistema quer proteger a si mesmo e se retroalimentar por meio da criação de conceitos falazes e da estigmatização de um grupo de pessoas. Para este perverso sistema de crenças, todos os indivíduos que não desejam financiar seu governo ou subsidiar seus compatriotas são estigmatizados e rotulados como “malvados”. Em outras palavras, todos os empresários, homens de negócio ou apenas aquelas pessoas com dinheiro que desejam manter seu capital seguro e em confidencialidade em uma jurisdição estrangeira são automaticamente rotulados negativamente e duramente julgados. Os jornalistas com a imprensa fazem muito bem seu trabalho de embaixadores dos paradigmas vigentes, inventando nessas pessoas monstros horríveis de contos de fada, servindo assim os interesses do Estado. Outro braço deste sistema perverso é socialismo europeu com a OCDE na liderança, que se gabam de querer resolver os problemas do mundo, aumentando as taxas de impostos, e se acreditando no direito de dizer a todos o que deveriam e não deveriam fazer, levando seu discurso de transparência a todos os cantos do planeta, com o suposto objetivo de tornar os pobres mais ricos e felizes.


“Ao mesmo tempo em que ensinamos a ler e a escrever, de passagem, inculcam-nos a ideia de que vivemos no melhor sistema político possível.”

Os argumentos que a maioria das pessoas de nossa sociedade acredita estão baseados nas seguintes premissas:

  • A natureza do homem é essencialmente boa e, portanto, o Estado deve ajudar e apoiar a todos os cidadãos.
  • A democracia é boa.
  • O sistema democrático é bom porque distribui poder e riqueza de forma equitativa entre todos os cidadãos.
  • Quanto maior e mais poderoso o Estado e seus dirigentes (eleitos pelo próprio povo), mais benefícios e serviços o Estado concederá ao seu povo.
  • Os impostos são necessários porque permitem distribuir essas riquezas e esses serviços de forma justa e equitativa.
  • Em conclusão, todos aqueles que procuram minimizar o pagamento de impostos são rotulados de “malvados” e “antidemocráticos”.


Agora os convido a estudar e analisar cada uma dessas premissas usando tanto a lógica dedutiva como a indutiva.

  • Nós sabemos que os seres humanos são biologicamente capazes de fanatismo e extremismo, assassinato, loucura e completa falta de (perdoem a redundância) “humanidade”. Tendo isso em mente, não se pode dizer que o ser humano seja um animal precisamente manso e bom por natureza. Portanto, não há nenhuma evidência tangível para demonstrar a bondade inerente do ser humano, nem as características que o fazem digno de uma ajuda especial, pelo menos não mais do que merece um golfinho ou uma baleia. De fato, indutivamente, pode-se inferir que um golfinho é um ser superior ao ser humano. Vamos dar um exemplo claro: quem você prefere salvar? Um membro violento de uma gangue criminosa ou um golfinho? Há algo inerentemente bom sobre o membro da gangue, algo que o torna digno de ajuda, ou pelo menos mais digno de ajuda do que um golfinho?

Do mesmo modo, se analisarmos indutivamente a história da humanidade, podemos ver que ela está cheio de genocídios, corrupção, escravidão, exploração, crime e guerras. Todas essas qualidades maravilhosas da espécie humana e sua sociedade não são, infelizmente, uma exceção, mas, ao contrário, a regra triste e infeliz. Tendo isso em mente, é evidente que o homem não bom por natureza ou, em todo caso, poderíamos dizer que o homem é capaz tanto de boas ações e quanto de más ações em igual medida.

  • Indutivamente, a premissa b é igualmente absurda que a premissa a. Neste caso, vamos pedir um exemplo de Sócrates para demonstrar. Pense em um navio. Você e sua família são passageiros daquele navio e suas vidas dependem de quem estiver no comando do navio. Você deixaria a escolha da tripulação e do capitão nas mãos de um grupo de pessoas que não são suficientemente treinadas ou informadas para tomar tal decisão? Ou, em vez disso, você preferiria escolher a tripulação – nas mãos de quem estarão a sua vida e a de sua família – de acordo com o mérito, a experiência e a habilidade de cada um? Do mesmo modo, como um sistema pode se sustentar e ser chamado de funcional, quando seus líderes são escolhidos por pessoas que não têm ideia do que significa governar um país? São essas as pessoas realmente mais preparadas para escolher o presidente certo? Novamente de maneira indutiva, podemos dizer que, na maioria dos casos, os governantes eleitos pelo povo têm feito falsas promessas e alianças corruptas, são gananciosos, interessados, inúteis, incompetentes e incapazes de dirigir um Estado e conduzir um país ao progresso. Essas são as “joias” que chamamos de “nossos líderes”. De fato, quanto maior e mais poderoso o Estado é, mais corrupção e abuso de poder podem ser encontrados nele. Um exemplo claro e triste é a Venezuela, um país em que um lunático corrupto prometeu distribuir riqueza entre os pobres. Deixe-me perguntar, em que estado estão os venezuelanos agora? A Rússia stalinista também manifestou em sua época nobres intenções de natureza semelhante, assim como a Alemanha nazista. Os resultados desastrosos, nem é preciso dizer, são parte da triste história que todos nós conhecemos muito bem. Demasiadamente bem.
  • Continuando com o raciocínio acima, sobram motivos para argumentar que quanto maior e mais poderoso do estado, menos igualdade, menos liberdade e menos respeito pelos direitos humanos. A mesma história nos mostra que, com algumas exceções, os governos sempre foram direcionados para o benefício de poucos, que abusaram de seu poder.
  • Com o caminho traçado até agora, podemos deduzir que o conceito de pagar impostos NÃO é uma coisa boa, uma vez que é o mecanismo pelo qual o governo financia guerras, lavagem de dinheiro, corrupção e vigilância. Empiricamente, podemos observar que nas jurisdições com alíquotas menores a população tem melhor qualidade de vida. Alguns exemplos disso são Cingapura, Hong Kong, Mônaco, Suíça, Malta e Chipre. Esses são governos relativamente pequenos, têm alíquotas baixas e seu povo em geral vive melhor e mais feliz.

Deixe-me agora apresentar agora outro modo de pensar, chamado “objetivismo”. O objetivismo é o sistema filosófico de Ayn Rand, grande escritora e pensadora do século XX, que fugiu de sua Rússia natal depois de testemunhar o perigo representado pelas ideias socialistas e populistas.

O objetivismo é um precursor de outros movimentos liberais, como, por exemplo, o anarcocapitalismo, que é brilhantemente descrito por Rand no romance A Revolta de Atlas, uma de suas maiores obras.

Escrito em 1930, A Revolta de Atlas descreve uma distopia na qual os EUA são liderados por um grupo de pessoas corruptas e ignorantes, que fazem tudo o que é o possível para deter os empreendedores e pensadores mais talentosos. O governo descrito por Rand tem altas taxas de impostos e interfere no livre-arbítrio da população, características pelas quais esse governo acaba em colapso econômico e social.

Lá pelo final do romance, um grupo de indivíduos talentosos e brilhantes escapa da sociedade em declínio e cria sua própria comunidade em uma ilha baseada no padrão do ouro, na qual artistas e pensadores são livres para criar e desenvolver seu potencial.



Correndo o risco de cair em uma simplificação banal, descreverei nas linhas a seguir as premissas anteriores do ponto de vista de Ayn Rand. Em outras palavras, revisaremos os conceitos que Rand tinha sobre a humanidade, o Estado e o sistema tributário.

  • De acordo com Rand, o homem é capaz de grandes pensamentos e ações altruístas apenas se, de modo consistente e egoísta, esforça-se para alcançar sua própria perfeição por meio da educação, da autodisciplina, do racionalismo e do trabalho. Esse conceito é semelhante ao de Sócrates: “a vida não tem sentido se não está constantemente sendo examinada”. Retornando a Rand, ela acreditava que a sociedade não deve tentar ajudar os seres humanos e que o homem só pode atingir seu pleno potencial através do autodesenvolvimento e de um esforço constante e imenso. Essa é a razão pela qual há muito poucos Leonardos DaVinci, Ghandis, Budas ou Steve Jobs. Alcançar o pleno potencial requer um grande esforço, esforço que a maioria das pessoas não está disposta a fazer, preferindo permanecer em seu estado básico, em sua ignorância e baixeza, em sua ganância e corrupção. Em outras palavras, você não pode ajudar aqueles que não querem ser ajudados, que não querem progredir sozinhos.
  • A segunda premissa, da perspectiva de Rand, é que a sociedade é composta por um grande número de ovelhas e alguns lobos que as submetem. De acordo com Rand, há também alguns indivíduos talentosos e honrados. No sistema perverso em que vivemos, as ovelhas escolhem seus líderes dentro do grupo dos lobos, já que os indivíduos honrados e talentosos não têm interesse em participar na política. Na verdade, se olharmos para os líderes mundiais de hoje e ao longo da história, exceto por algumas exceções que confirmam a regra, esses líderes não são pessoas nem talentosas, nem educadas, nem honradas. Se examinarmos os bens e riquezas de um político e de suas famílias antes e depois de seu mandato, certamente vemos que os bens e riquezas se multiplicaram milagrosamente depois. Portanto, dar dinheiro para estes políticos é o mesmo que dá-lo para detentos na prisão, esperando que eles o usem para o bem, distribuindo-o equitativamente entre seus companheiros de prisão.
  • Os impostos são ruins por dois motivos. Em primeiro lugar, eles se baseiam no roubo (porque eles não são opcionais) de uma parte dos lucros gerados graças ao esforço pessoal de cada indivíduo. Em segundo lugar, essa coleção é usada para financiar o Estado todo-poderoso, que já mostramos como uma organização terrível.
  • Ayn Rand acreditava que o Estado deve ser menor e menos poderoso o possível – e o anarcocapitalismo vai um passo além, afirmando que o Estado não deveria sequer existir.
  • Sendo o sistema de educação um dos conceitos mais sagrados da sociedade atual, provavelmente alguém deve estar se perguntando como as pessoas poderão ter acesso à educação sem o apoio do Estado. Atualmente, existe uma infinidade de informações disponíveis, que são facilmente acessíveis e muitas vezes gratuitas. Além disso, hoje em dia é possível obter um diploma online em custos relativamente baixos. A escola como hoje conhecemos é um conceito que em breve será obsoleto. Na verdade, muitos consideram que a educação ministrada nas escolas é pobre e optam por educar seus filhos em casa. Os maiores pensadores, cientistas, artistas e os homens e mulheres de maior sucesso – tanto profissional quanto pessoal – foram desertores do ensino regular e escolheram ser autodidatas. Um exemplo notável disso é Steve Jobs.

Com o advento e o desenvolvimento da Internet nas últimas décadas, os velhos conceitos estão começando a ser desafiados pelas novas gerações, que estão começando a entender que elas têm sido enganadas pelo Estado e por seus líderes. A resposta do Estado nesse caso foi o aumento da vigilância, do controle, das penalidades e das taxas de impostos.

Cada vez mais gente ao redor do globo está começando a entender que os governos da Venezuela, México e Estados Unidos são a mesma coisa, diferindo apenas em níveis. Muitos estão à procura de novas formas de pensar e de modos de vida alternativos. Para todas essas pessoas, eu aconselho a seguir Ayn Rand e Sócrates, libertando-se da tirania do Estado, de suas guerras fúteis e seus exércitos, assim como do “ópio” das religiões e doutrinas.

Para encerrar, gostaria de compartilhar citações de alguns dos “maiores” líderes da história da humanidade. Apesar de suas ideologias aparentemente antagônicas, se olharmos um pouco mais de perto, poderemos perceber que suas ideias e modos de agir são basicamente os mesmos.

 

JOSEPH STALIN

  • A educação é uma arma cujos efeitos dependem de quem a tem em mãos e para quem ela é dirigida.
  • As ideias são mais poderosas do que as armas. Nós não permitiríamos que nossos inimigos tivessem armas, por que deveríamos permitir que eles tenham ideias?
  • A gratidão é uma doença da qual sofrem os cachorros.

MAO TSE TUNG

  • O culto à xenofobia é o método mais barato e seguro para o patriotismo selvagem e ignorante das massas, que culpa a política externa por qualquer loucura ou infortúnio social.

ADOLF HITLER

  • O terrorismo é a melhor das armas políticas, porque não há nada que impulsione as pessoas com mais veemência do que o medo de uma morte súbita.
  • Eu não vim a este mundo para fazer os homens melhores, mas para fazer uso de suas debilidades.
  • Não existe maior sorte para quem está no poder do que o fato de que as pessoas não pensem.
  • Sinto simpatia pelo Sr. Roosevelt porque ele costuma agir diretamente sobre seus objetivos no Congresso, nos grupos de pressão e na burocracia.
  • Na simplicidade de suas mentes, [as pessoas] são mais facilmente vítimas para as grandes mentiras do que para as pequenas… A ideia da fabricação de mentiras colossais nunca viria às suas mentes, portanto, elas não acreditariam que outros pudessem ter tido o descaramento de distorcer a verdade de maneira tão infame. Mesmo que os fatos que provam isso possam ser induzidos claramente em suas mentes, elas ainda duvidarão e hesitarão, pensando que talvez exista alguma outra explicação.

HERMANN GÖRING

  • É claro que as pessoas não querem a guerra. Por que algum pobre coitado em um sítio quereria arriscar sua vida em uma guerra, quando o máximo que ele poderia ganhar com isso seria voltar em segurança para seu próprio sítio? Porém… As pessoas sempre podem ser levadas a seguir as ordens de seus líderes. Isso é fácil. Tudo o que você precisa fazer é dizer que elas estão sendo atacadas, denunciando os pacifistas pela falta de patriotismo e por expor o país ao perigo. Funciona do mesmo modo maneira em qualquer país.

WINSTON CHURCHILL

  • Que homem! Eu perdi meu coração! (referindo-se a Benito Mussolini, em 1927)
  • Alguém pode não gostar do sistema de Hitler e ainda assim admirar seu sucesso patriótico. Se nosso país for derrotado, espero que encontremos um campeão tão indomável que possa restaurar nossa coragem e nos levar de volta à nossa posição entre as nações.

FRANKLIN ROOSEVELT

  • Parece não haver dúvidas de que Mussolini está realmente interessado no que estamos fazendo. E eu estou interessado e profundamente impressionado por suas realizações e por seu propósito evidentemente sincero de restaurar a Itália.
  • A realidade é que, como o senhor e eu sabemos, o elemento financeiro nos maiores centros controlou o governo desde os dias de Andrew Jackson. (para o coronel Edward House).

VLADIMIR LENIN

  • Nosso poder não conhece liberdade ou justiça. Está estabelecido na destruição da vontade individual.
  • A melhor maneira de controlar a oposição é que nós mesmos a lideremos.

LEON TROTSKY

  • Os verdadeiros criminosos estão escondidos sob o manto dos acusadores.

NAPOLEÃO BONAPARTE

  • De todas as nossas instituições públicas, a educação é a mais importante. Nós devemos ser capazes de formar uma geração completa sob o mesmo molde.
  • O homem se converte na criação de seu uniforme.
  • A vida de um cidadão é de propriedade de seu país.

CHARLES MAURICE TALLEYRAND

  • A fala nos foi dada para escondermos os nossos pensamentos.
  • Uma importante arte dos políticos é encontrar novos nomes para as instituições cujos nomes antigos se tornaram desagradáveis para o público.

HENRY KISSINGER

  • O que é ilegal nós fazemos imediatamente; o que é inconstitucional precisa de um pouco mais de tempo.

CARDEAL DE RICHELIEU

  • Dê-me seis linhas escritas pelo mais honrado dos homens e eu encontrarei uma desculpa nelas para enforcá-lo.

JOSEPH GOEBBELS

  • Pense na imprensa como um grande teclado que o governo pode tocar.
  • Uma mentira só pode ser mantida enquanto o Estado puder proteger as pessoas das consequências políticas, econômicas e / ou militares dessa mentira. Portanto, o uso de todo o poder do Estado para reprimir a dissidência se torna um fator de vital importância, porque a verdade é o inimigo mortal da mentira e, por extensão, a verdade é o maior inimigo do Estado.

EDGAR HOOVER

  • A justiça é incidental para a lei e a ordem.

WILLIAM H. WOODIN (Secretário de Tesouro dos EUA)

  • A Lei da Reserva Federal nos permite imprimir todo o dinheiro que precisarmos. E ele não assustará as pessoas. Será um dinheiro que parece com dinheiro de verdade.

BENITO MUSSOLINI

  • A verdade aparente, aparente aos olhos de qualquer um que não é cego pelo dogmatismo, é que talvez o homem esteja cansado da liberdade… Os homens têm um excesso dela… Nós enterramos o cadáver putrefato da liberdade… Os italianos são uma raça de ovelhas.

CARACALA (Imperador Romano)

  • Enquanto tivermos isto (apontando para sua espada), não ficaremos sem dinheiro.

PRÍNCIPE PHILIP (Duque de Edimburgo)

  • Devo confessar que, se eu tivesse que reencarnar, gostaria de reencarnar como um vírus bem mortal.

CHARLES DE GAULLE

  • Com o objetivo de se tornar professor, o político se faz passar por bedel.

GEORGE W BUSH

  • “Nossos inimigos são inovadores e engenhosos e nós também. Eles nunca param de pensar em novas maneiras de causar danos ao nosso país e ao nosso povo, e nós também não.” Washington, D.C., 5 de agosto de 2004.
  • “Eu só quero que vocês saibam que quando falamos sobre a guerra, nós realmente estamos falando de paz.” Washington, D.C., 18 de junho de 2002.
  • “Eu sei no que eu acredito. E vou continuar articulando o que acredito – e eu acredito que aquilo que eu acredito é certo.” Roma, Itália, 22 de julho de 2001.
  • “Olha, na minha linha de trabalho você tem que ficar repetindo as coisas uma e outra vez para a verdade fique certa, como que catapultando a propaganda.” Nova York, 24 de maio de 2005.
  • “Eu gostaria de ter recebido essa pergunta por escrito antes, para que eu pudesse me planejar… Tenho certeza de que algo me virá à mente durante esta conferência de imprensa, com toda a pressão de tentar encontrar a resposta, mas eu ainda não o fiz… Eu não quero aparentar que cometi nenhum erro. Estou certo daquilo que fiz. E eu não fiz isso, você apenas me colocou em uma posição difícil aqui, e talvez eu não seja tão ágil quanto deveria para encontrar uma resposta.” Após a ser questionado para indicar o maior erro que havia cometido em seu governo, Washington, D.C., 3 de abril de 2004.
  • “Esta é uma multidão impressionante – aqueles que têm e aqueles que têm ainda mais. Algumas pessoas os chamam de elite – eu os chamo de minha fundação.” no jantar de Al Smith.
  • “Sabe, uma das partes mais difíceis do meu trabalho é conectar o Iraque à guerra contra o terror.” Entrevista com Katie Couric, da CBS News, 6 de setembro de 2006.
  • “Eu diria que o melhor momento de todos foi quando eu pesquei em meu lago um robalo de boca grande de 3 quilos.” Sobre o seu melhor momento no cargo de presidente, em entrevista para o jornal alemão Bild am Sonntag, 7 de maio de 2006.
  • “Se isto fosse uma ditadura, seria muito mais fácil, desde que eu seja o ditador.” Washington, D.C., 19 de dezembro de 2000.
Comentários
WhatsApp chat