Dave Munger e a fábrica de chocolate

0 8

Por educação, teólogo. Por vocação, fabricante de chocolate.

Costumava plantar árvores no Canadá, mas agora fornece chocolate ao Kremlin.

Dave transformou a sua paixão num negócio familiar.

 

Dave transformou a sua paixão num negócio familiar.

O que eu faço é um desafio incrível nos nossos dias

Eu sempre adorei chocolate, mas tornei-me um fabricante de chocolate por acaso, por assim dizer. Sou Doutorado em teologia e cheguei à Rússia em 98, para estudar ortodoxia e encontrar respostas para perguntas do meu interior. Depois de me formar, tive que voltar ao Canadá. Lá plantei árvores para pagar as dívidas geradas pelos meus estudos. Como nunca quis tornar a religião uma fonte de rendimento, comecei a ajudar as empresas canadenses a entrar no mercado russo e vice-versa. Era uma quantia ridícula de dinheiro, mas isso ajudou-me a obter contactos úteis.

Um dos meus clientes estava envolvido na restauração e propus abrir pequenas boutiques de chocolate em Moscovo. Logo ficou claro que não daria certo. Apesar do seu grande desejo de realizar a ideia, o meu parceiro não tinha o dinheiro suficiente.

Quando conheci a minha esposa, eu ainda não era fabricante de chocolate, mas já comprava uma barra de chocolate negro por dia. Ela começou a chamar-me de “meu rei do chocolate”. Ela não queria sair do Canadá e não estava convencida após as minhas constantes viagens à minha terra natal. Eu tentei encontrar trabalho em Moscovo. Como estrangeiro, eu não conseguia sequer um emprego numa pequena empresa. Decidi que precisava de ser mais ambicioso e tentar uma grande empresa.

A próxima etapa crucial da minha carreira foi a minha passagem pela marca A.Korkunov. Encontrei um artigo no qual Andrei Korkunov falou sobre os seus planos em abrir boutiques de chocolate. Quando você é apaixonado por uma ideia e começa a mergulhar nela, sente que sabe tudo sobre esta. E embora o artigo já tivesse alguns anos, fui vê-lo e contei a Andrei Korkunov a minha visão.

“Você não sabe absolutamente nada, mas existe fogo nos seus olhos”, garantiu-me ele. São esses tipos de pessoas que têm ideias criativas e levam os negócios a um novo nível. Aos olhos de Andrei, era isso que tinha acontecido com dele. Hoje, é mais provável que ele confie o desenvolvimento do seu negócio a um novato apaixonado por essa ideia de negócio, do que propriamente a um profissional, que tem constantes dúvidas.

A minha função na A. Korkunov era criar um produto premium a partir de ingredientes fabricados em França e obtidos a um preço alto. Então foi decidido que eu cuidaria do chocolate eu mesmo. Estudei em França com um fabricante de chocolate de renome mundial, Jean-Dominique Gelle. Mais tarde, eu mesmo desenvolvi as receitas na fábrica de Korkunov, onde trabalhei durante 4 anos.

Desde que me tornei fabricante de chocolate, tive a oportunidade de trabalhar na Wimm-Bill-Dann e na maior empresa russa de confeitaria, a Confectionery House Vostok (KDV). Criar um produto que eu não consumo é emocionalmente difícil para mim, e fazer o que eu amo é fundamental. Em 2014, fundei a minha empresa e comecei a produzir doces com a marca Chocolatier D. Munger. A principal inspiração para mim sempre foi o meu pai, um chef famoso. Embora o meu pai não trabalhe com chocolate, a sua opinião é de grande importância para mim. Quero ter orgulho do meu produto e perante o meu pai, bem como de todos aqueles que provam os meus doces. Atualmente, fabricar um produto de qualidade é uma questão não rentável, mas sim um desafio louco.

Mudança

Para iniciar a produção, era necessário equipar uma oficina, que eu aluguei primeiramente na região de Moscovo. Anteriormente, eu havia lançado muitas linhas de produção para os meus empregadores e tinha muitos contactos entre alguns fabricantes europeus. Combinamos um plano de cotas. No entanto, é necessário pagar o IVA e as tarifas de importação, ao importar para a Rússia. É uma quantia impressionante: cerca de 30% do custo do equipamento, mesmo que pague de forma parcelada. No aspeto económico, era uma questão particularmente desvantajosa. Ao abrir a produção na Europa, esses custos poderiam ser evitados. Por esse motivo, tentei transferir a produção para lá. Mais tarde, informei-me acerca das zonas económicas especiais existentes na Rússia, onde pude conduzir os meus negócios com condições mais favoráveis.

Inicialmente, considerei a ZEE na região de Moscovo. Contudo, a sua principal desvantagem foi essa zona especial é limitada e tem falta de áreas adequadas. Havia apenas uma opção: criar a nossa produção do zero.

Portanto, a minha escolha recaiu na região de Kaliningrado, onde o regime da Zona Económica Especial estende-se a todo o território da região. Além disso, existem condições realmente únicas para se fazer negócios aqui.

Eu fui para Kaliningrado. Uma bela área perto do mar Báltico, o que inclui um porto. A proximidade com a Europa é uma vantagem adicional ao trabalhar com exportação e, além disso, gostei do clima também.

As principais reuniões com clientes e parceiros são realizadas na capital. No entanto, passo a maior parte do tempo em Kaliningrado,onde controlo todo o processo.

Eu sempre amei chocolate, mas me tornei um fabricante de chocolate por acaso, por assim dizer.

Para isto, tem que se estar preparado

Durante o meu trabalho anterior, fiz frequentes viagens de negócios. Rapidamente pareceu-me que essa era uma carga de trabalho absurda e que ter o meu próprio negócio seria muito mais vantajoso. Afinal, tratava-se uma pequena empresa. Como diretor de desenvolvimento, sempre lidei com equipas de gestão sénior, sempre que chegava à fábrica. Lá comuniquei as minhas recomendações para a melhoria dos processos e, depois de duas semanas, voltava ao meu trabalho habitual. Porém, depois de iniciar a minha aventura sozinho, tive que ser eu a enfrentar os meus próprios problemas e controlar os processos de produção. É algo que requer muito mais tempo e esforço.

Eu habituei-me a trabalhar duro desde a infância. Esta é a nossa educação. Desde os meus 12 anos de idade, os meus pais só me forneceram comida e um teto sob a minha cabeça; Eu tinha que conquistar todo o resto. Eu aplico o mesmo princípio em relação aos meus filhos. No entanto, uma empresa própria é algo diferente. Você tem que estar preparado para isto.

É fácil falar a mesma língua que os russos

Existem aspetos específicos quando se trata de fazer negócios na Rússia, mas em outros países também acontece o mesmo. Antes de conhecer a Zona Económica Especial, tentei abrir uma empresa na Eslovénia, onde tinha três parceiros. Três vezes deparei-me com entraves e erros. Enfrentei uma situação semelhante na Áustria com um distribuidor. Lá, tudo o que fosse acordado deveria ser especificado no contrato. Literalmente: todas as possibilidades devem ser previstas e predefinidas. Na Rússia, não sofri esse tipo de desafios.

No geral, a experiência mostrou-me que as pessoas na Rússia sabem manter a sua palavra. Talvez essa tradição tenha origem nos turbulentos anos 90, quando a palavra tinha um alto valor. De qualquer forma, é um facto: não é costume trapacear aqui. Se, no futuro, a minha empresa se expandir para fora da Federação Russa, escolherei os países onde muitos russos residem. Preciso de um ambiente em que seja fácil falar a mesma língua com as pessoas. Eu posso fazer isso facilmente em França, mas os preços e impostos são muito altos lá.

 

Você precisa manter uma marca para ser a melhor do seu segmento. Na verdade, estou em uma corrida constante para chegar ao próximo trem que está prestes a sair.

Todo dia é uma corrida para não perder oportunidades

Este é um tipo muito específico de negócio. O ciclo de vida de uma produção comum de doces é de aproximadamente 8 anos. Tudo começa com investimentos e os rendimentos vão para o desenvolvimento. Uma empresa torna-se atraente quando atinge uma determinada participação de mercado e há dois caminhos: você vai para o segmento de massa ou pode ser comprado por líderes do setor, como a Mars, Nestlé, etc…

O nosso objetivo é permanecer uma marca independente, e a tarefa é desenvolver a nossa própria empresa. Você precisa de manter uma marca, com uma visão consolidada, para ser a melhor do seu segmento. Na verdade, estou sempre numa corrida constante para chegar ao próximo comboio que está prestes a sair.

O mais importante é o humor e a equipa. Na nossa empresa, todos os trabalhadores são entusiastas, ao mesmo tempo que recebem um bom salário. Eu sou sempre muito exigente, comigo primeiro. Se as pessoas vissem-me a relaxar, fariam o mesmo.

 

Nosso desafio é uma margem de 35% no custo de matérias-primas, em comparação com 300% como fabricantes de chocolate artesanal.

Usamos as tecnologias mais modernas, mas não brincamos com os ingredientes

Eu pensei que seria suficiente fazer um produto natural com ingredientes de qualidade, empacotá-lo lindamente e vendê-lo. No entanto, o custo desse produto é muito alto, e isso torna o conceito inviável.

O nosso desafio consiste numa margem de 35% no custo de matérias-primas, em comparação com os 300%, como acontece com os fabricantes de chocolate artesanal. O resultado final que chega às prateleiras é um preço acessível em doces naturais de alta qualidade.

A trufa, por exemplo, contém apenas três ingredientes: chocolate, creme e álcool (como conservante natural). Para exportação, usamos congelamento profundo e os distribuidores marcam a data de produção no momento do descongelamento. A embalagem protege o chocolate do oxigénio e da humidade. Aproveitamos ao máximo a tecnologia mais moderna, sem arriscar na composição do chocolate.

Minha empresa era uma startup há 4 anos e ainda é. Não me sinto todos os dias às portas de uma grande mudança, no entanto, o crescimento é óbvio.

 

Planos

A minha empresa era uma startup há 4 anos e ainda o é. Não me sinto todos os dias às portas de uma grande mudança, no entanto, o crescimento é um processo natural. Começamos com uma oficina de 140 m2 e hoje a produção em Kaliningrado ocupa uma área de 1400 m2.

Entre os nossos parceiros, temos empresas de classe mundial como a Courvoisier, Jim Beam, entre outras. Temos um plano para os próximos 5 anos com a melhor marca de cigarros, Cohibas, que está relacionada ao desenvolvimento de um novo sabor de trufa.

No futuro, queremos construir a nossa oficina no território do parque industrial de Khrabrovo, na região de Kaliningrado. A vantagem da localização é a proximidade ao aeroporto. Além disso, o porto fica próximo, o que é conveniente para exportação. Uma vantagem adicional é a presença da ferrovia que conecta-se diretamente à Europa e a rota Kaliningrado – China, que é feita em 8 dias.

Recentemente, aprendemos que na região de Kaliningrado você pode ter acesso a medidas de apoio ao desenvolvimento de negócios oferecidas pelo Governo. Sob a ala do Business Initiative Support Center, existem organizações de crédito através das quais um empréstimo pode ser obtido a uma taxa anual de 8,5% e um fundo de garantia, que concede uma garantia de 70% sob garantia. Apenas 30% do investimento em equipamentos cairá sobre nós. Além disso, Kaliningrado presta assistência na exportação de mercadorias produzidas na região. Já conseguimos mostrar os nossos produtos numa exposição internacional na China, com o apoio da Business Initiative Support Center.

Em Moscou, planejamos fornecer cerca de 400 butiques gastronômicas em parceria com empresas da região de Kaliningrado que produzem os melhores produtos em seu setor.

Expanda os negócios em parceria com pessoas com a mesma visão

As nossas principais áreas de vendas são lojas de bebidas e varejistas premium. Pouco a pouco, mais e mais clientes aproximam-se de nós depois de se darem a conhecer. Em Moscovo, planeamos fornecer cerca de 400 boutiques gastronómicas, em parceria com empresas da região de Kaliningrado, que produzem os melhores produtos no seu setor. Trata-se de iguarias de carne “Mushkino”; Queijos “Tilsit”, que fabricam os seus produtos à maneira dos antigos queijeiros, e o caviar preto da RÚSSIA CAVIAR. Temos uma série de ideias comuns, em termos de qualidade do produto.

Nos últimos 3 anos, participei na exposição internacional de confeitaria na Colónia. Lá as pessoas experimentam os nossos doces e ficam surpreendidas com o sabor. Os estrangeiros têm uma visão diferente dos produtos fabricados na Rússia, e estamos a conseguir mudar os seus pontos de vista.

Agora, os nossos doces são conhecidos em todo o mundo, mesmo no Japão. No festival Spasskaya Tower, músicos da orquestra das forças terrestres japonesas vieram ao nosso pavilhão e organizaram um mini-concerto para nós em reconhecimento da qualidade dos nossos produtos.

Eu gostaria que o número de pessoas entregues à sua vocação aumentasse, para quem criar um produto digno significa tanto quanto ganhar dinheiro com ele.

Fornecedor no Kremlin

Chocolatier D. Munger é uma empresa totalmente russa. É uma honra especial para mim ser o fornecedor oficial de chocolate para o festival Spasskaya Tower, que foi possível graças à vitória no concurso internacional do Louvre, em 2005. Eu representei a Rússia e ganhei o primeiro lugar na nomeação «Melhor ganache de chocolate». Parabenizaram-nos no Palácio do Kremlin e iniciamos um relacionamento profissional com o seu vasto leque de fornecedores. Os nossos produtos passaram por rigorosos controlos de qualidade para atender às suas exigências.

Eu gostaria que o número de pessoas que se entregam à sua vocação aumentasse, permitindo assim que a criação de um produto digno significasse tanto quanto ganhar dinheiro com ele. Há muitas pessoas com esse objetivo e desejo a todos boa sorte.

Após esta história inspiradora, o Mundo Offshore incentiva os seus leitores a ousarem realizar os seus sonhos e objetivos financeiros. Para isso, a Zona Económica Especial de Kaliningrado oferece vantagens incomparáveis.

Entre em contacto connosco se desejar obter mais informações sobre os benefícios da Zona Económica Especial da região de Kaliningrado.

Comentários
WhatsApp chat