Turismo na Sérvia

Grande torre do relógio em Novi Sad, Sérvia.
0 255

A Sérvia é um destino que costuma passar despercebido por muitos viajantes. Aqueles que se aventuraram neste país do sudeste da Europa, com certeza tiveram a oportunidade de descobrir a lendária vida noturna de sua capital, Belgrado, enquanto outros puderam participar do Festival Exit, que é realizado em Novi Sad. O turismo na Sérvia também se destaca com a grande loucura que cai na pequena cidade de Guča em todo mês de agosto, cujo festival de trombetas ganhou reputação como um dos eventos mais apaixonantes da Europa. Isso é apenas uma parte da história.  As paisagens da Sérvia vão desde as intermináveis planícies de Vojvodina, na parte norte –a produtora de vinho e o celeiro do país– até as impressionantes montanhas e desfiladeiros dos parques nacionais no sul, leste e oeste desta antiga República Iugoslava. Os legados herdados dos antigos governantes, os Habsburgos e Turcos Otomanos, podem ser vistos em todos os contextos, desde a arquitetura até a culinária, onde realmente ocorre o encontro entre o Oriente e o Ocidente. Apresentamos 11 lugares que, quando você tiver a oportunidade de viajar, despertarão seu interesse por este canto discreto da Europa Oriental:

1. Belgrado

A dinâmica capital da Sérvia atravessa a confluência dos rios Sava e Danúbio, onde o extenso Parque Kalemegdan e a incrível fortaleza oferecem vistas maravilhosas. Belgrado tem uma energia inconfundível, especialmente por sua vibrante cultura de cafés.

Um passeio pela zona de pedestres da rua Knez Mihailova contempla elegantes edifícios neoclássicos do século XIX, assim como lojas, bares e restaurantes.

Dorćol é um dos bairros mais atrativos da cidade e tem dezenas de bares e restaurantes, muitos deles em Strahinjića Bana.

Os turistas podem presenciar a movimentada vida noturna ao redor dos rios Sava e Danúbio, onde os clubes e bares flutuantes se distribuem às margens do rio. As animadas casas noturnas de Savamala são abundantes em todo este percurso.

Skadarlija, por sua vez, o que Belgrado tem de mais parecido com uma zona turística, apresenta ruas de pedras do século XIX, repletas de bares e restaurantes que se harmonizam com uma trilha sonora tocada ao vivo por músicos populares.

2. Zemun

Até 1918, este subúrbio era parte do Império Austro-Húngaro. Isso se torna evidente à medida que se caminha ao longo do rio Danúbio e se observa a arquitetura barroca típica de Budapeste; basta apreciar as amostras cirílicas das ruas para comprovar.

Depois de visitar o mercado local em Masarikov Trg, vale a pena caminhar até a Torre de Gardoš, que foi construída pelos húngaros em 1896. Ao subir para a torre você irá desfrutar de uma vista panorâmica de Zemun, Belgrado e do Danúbio.

A partir do final de junho até setembro, fica disponível uma ponte flutuante que liga Zemun com a ilha Great War (Veliko Ratno Ostrvo), uma reserva natural que abriga uma praia de areia na ponta noroeste.


Vista do Rio Sava de Belgrado, capital da Sérvia.

3. Novi Sad

Conhecida como a “Atenas Sérvia”, em razão da sua longa história como centro cultural e de estudo, Novi Sad revela sua herança de Habsburgo através de suas belas construções neoclássicas e suas praças repletas de cafeterias.

A Trg Slobode (ou Praça da Liberdade) é um dos principais centros, onde disputam a atenção o impressionante Palácio Municipal neorenascentista, a surpreendente Catedral Católica Romana e os cafés localizados na agradável zona de pedestres.

Siga pela zona de pedestres de Dunavska, passando por suas casas tipo barrocas de cor pastel, até o Parque Dunavski com sua vegetação fresca. Nos dias quentes, nada melhor do que tomar sol na praia Danúbio de Most Slobode (Ponte da Liberdade)

4. Subotica

Em Subotica, o Palácio Reichle é uma antiga mansão transformada em edifício de apartamentos.

É fácil acreditar que se cruzou a fronteira para a Hungria quando se chega a Subotica. Neste vilarejo, o sabor húngaro pode ser percebido em tudo, desde as apresentações bilíngues servo-húngaros, até a culinária típica carregada de pimenta nos restaurantes, o que não é surpreendente considerando o tamanho da população húngara que há em Subotica.

A arquitetura de Subotica, no entanto, é o que realmente se apresenta como uma surpresa. Os belos edifícios de estilo art nouveau, conhecido na Sérvia como o estilo separatista, são inspiração para os contos de fadas, com torres coloridas, fachadas, telhas e trabalhos em ladrilho. Um dos exemplos mais claros é o Palácio Municipal, cujo opulento interior vale a pena conhecer. Os visitantes podem inclusive fazer um tour pela parte mais alta da torre do relógio, onde pode apreciar belas vistas da cidade e da paisagem.

Os trens e ônibus fazem a conexão com o vizinho Lago Palić, um popular resort de lago que também tem uma coleção de requintadas construções em estilo art nouveau.

5. Parque Nacional Kopaonik

A montanha mais alta da Sérvia foi designada como Parque Nacional em 1981.

Durante o inverno, os sérvios costumam se deslocar para o sul, para a maior montanha e o maior resort de esqui e snowboard do país.

Ravni Kopaonik, seu principal centro de esqui, tem uma altitude de 5.577 pés, com a estação ferroviária mais alta, Pančićev vrh, a 6.614 pés. Há também 11 km de pistas de esqui ao fundo.

Apesar de Ravni Kopaonik ter diferentes hotéis, muitas pessoas preferem se hospedar na cidade vizinha de Brzeće, a qual se conecta com as montanhas através de um teleférico. As cadeiras elevadas continuam funcionando depois da temporada de inverno, enquanto o parque nacional permanece ativo, atraindo entusiastas dispostos a aproveitar o ar livre e explorar as montanhas a pé ou de bicicleta. A observação de aves também é um passatempo comum nesta área.

6. Zlatibor

Durante todas as temporadas, os locais de diversão e recreação da Sérvia são uma coleção de montanhas e vilas localizadas na parte leste do país, a 238 km (148 milhas) de Belgrado. Elas são famosas por suas gloriosas trilhas de caminhadas, bem como por seu popular mini centro de esqui, chamado Tornik.

Para transportar-se ao passado da Sérvia, está disponível o museu ao ar livre de Sirogojno (Etno Vilage Sirogojno). No local foi reconstruída uma aldeia do século XIX chamada Staro Selo, revelando em detalhes o estilo de vida rural da época.

Nas profundezas da Caverna Stopića, é possível encontrar uma maravilha subterrânea de cachoeiras, estalactites e terraços de travertino. Muito próximo encontra-se a majestosa cachoeira Gostilje, cuja queda de 65 pés percorre uma falésia de calcário. Seguindo a correnteza, o caminho de pedras leva a mais cachoeiras, bem como a locais adequados para fazer piquenique.

Grande torre do relógio em Novi Sad, Sérvia.

7. Parque Nacional Tara

Este parque abrange uma área de cerca de 250 km2.

Se querem encontrar zonas selvagens realmente incríveis, os visitantes podem explorar as montanhas e desfiladeiros do Parque Nacional Tara, onde o rio Drina forma uma fronteira natural com a Bósnia e Herzegovina. Neste intocada paisagem cárstica, florestas de piceas, abetos, pinheiros e juníperos cobrem as colinas que se elevam até quase 5.000 pés.

Este parque também é refúgio para 53 espécies de mamíferos e 153 espécies de aves. Espécimes como o urso, a camurça e o veado, os quais habitam a reserva natural do mesmo, estão protegidos por lei.

Pode-se alugar bicicletas nos postos turísticos de Mitrovac e Bajina Bašta e realizar um passeio pelos mais de 200 km do parque disponíveis para ciclismo e caminhadas. É importante seguir os caminhos demarcados, já que as florestas abrigam ursos pardos e gatos selvagens, entre outras criaturas.

Um dos lugares mais fascinantes do parque é a casa do rio Drina (Kućica na Drini), uma cabana de pesca, construída em madeira, que se equilibra sobre uma rocha no meio do rio. Também é possível alugar caiaques para obter uma visão próxima do lugar.

8. Fruška Gora

As montanhas de Fruška Gora, localizadas ao sul de Novi Sad, não são particularmente elevadas, no máximo 1768 pés, no entanto, fornecem um agradável atrativo natural que contrasta com as planícies da região autônoma da Vojvodina.

Dentro do Parque Nacional Fruška Gora há uma rota de 17 mosteiros, os quais foram construídos a partir do século XV. Um dos mais populares é Krušedol, que foi fundado no século XVI, enquanto que Grgeteg data do final do século XV e apresenta um belo iconostásio de mármore.

As colinas densamente arborizadas de Fruška Gora são cruzadas por rotas de caminhada e ciclismo. Espere encontrar martas de pinho, veados e javalis, juntamente com uma população de aves excepcionalmente alta, incluindo as águias imperiais. A área é também uma das principais regiões produtoras de vinho da Sérvia, com mais de 60 vinícolas.

9. Cidade do Diabo (Đavolja Varoš)

Localizado no sul da Sérvia, encontra-se um dos fenômenos naturais mais incomuns que você pode ver neste país.

Đavolja Varoš apresenta 202 notáveis formações rochosas que foram criadas naturalmente pela erosão, algumas com 66 pés de altura. A maioria tem em seu topo uma rocha em forma de cogumelo.

Situado na encosta arborizada do Monte Radan, no município de Kuršumlija, Đavolja Varoš pode ser apreciada a partir de uma série de plataformas de observação feitas de madeira. No caminho até essas torres se encontram fontes de água mineral e uma mina de ouro do século XIII.


Cachoeira Gostilje, Sérvia.

10. Drvengrad e Šargan Eight

Drvengrad (Povado Madeira) foi originalmente construído pelo cineasta sérvio Emir Kusturica para o seu filme de 2004 “A Vida é um Milagre”.

Agora é um excêntrico povoado com construções de fazenda ao estilo do século XIX, com lojas, restaurantes, galerias e apartamentos para alugar. A cada janeiro, o povo organiza o Festival de Cinema e Música Küstendorf de Kusturica, o qual é financiado em parte pelo Ministério da Cultura do governo sérvio.

A quase dois quilômetros de distância, há uma encenação igualmente peculiar: o Šargan Eight. Esta estreita via férrea patrimonial foi construída em 1925 e é uma façanha incrível da engenharia, o seu circuito em forma de oito percorre 22 túneis e cruza 10 pontes desde Mokra Gora até Šargan-Vitasi.

Esta percurso de ida e volta leva duas horas para ser percorrido e é um dos mais populares do oeste da Sérvia, não é necessário ser fã dos trens para desfrutar da paisagem maravilhosa.

11. Mosteiro Studencia

Fundado no século XII pelo governante medieval sérvio Stefan Nemanja, o mosteiro de Studenica é considerado como o mais grandioso da Sérvia. Isto se deve, em parte, ao seu fantástico entorno nas montanhas densamente florestadas sobre o rio Studenica, no centro da Sérvia.

Dentro do complexo, designado pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade, ainda permanecem três igrejas das nove que foram construídas originalmente. A Igreja de Nossa Senhora, criada em estilo bizantino e românico, é a maior e a mais famosa pelos seus frescos. Nele se encontra o túmulo de Stefan Nemanja.

Se você quiser se hospedar para um retiro, o mosteiro tem quartos mobiliados de forma simples disponíveis em sua própria Casa de Hóspedes Studenica.

Se planejar sua visita para o dia 24 de maio, poderá participar da comemoração do feriado de Stefan Nemanja.

Comentários
WhatsApp chat