Continuidade do seu negócio através do fideicomisso e planejamento de herança

0 13

Ultimamente, tem se tornado moda falar sobre a continuidade dos negócios e a transferência dos negócios para as próximas gerações. Isso causa discussões sobre a melhor forma de fazê-lo.

É importante considerar os seguintes pontos:

  1. Planeja transferir o negócio para os herdeiros. Pergunte a si mesmo: será que seus filhos precisam de negócio que você construiu? É o que seus filhos gostam? Talvez eles passem o dia todo nas redes sociais e não se importem com o mundo que os rodeia? Ou seu filho sonha em ser piloto, geólogo ou médico e você quer impor a ele a produção de algo que ele não entende e não quer entender? Você, como pai, pode obrigá-lo a assumir o negócio, mas quais serão as consequências da transferência forçada de ativos?
  2. Há uma frase que diz: A essência da empresa é a personalidade em torno da qual é criada.Você sabe o que acontece com um negócio quando o criador o deixa? A rentabilidade cai entre 50% e 100%! Por quê? Porque o mesmo criou um negócio, formou uma equipe, criou regras internas e “uma vassoura nova varre de uma maneira diferente”. Até mesmo os executivos de alto nível e de muita experiência, quando chegam a uma empresa nova, a mesma costuma experimentar baixas na rentabilidade. Depois de um ano ou dois pode ser que a situação melhore, mas a realidade é que, ao substituir um membro importante da equipe, o sistema costuma falhar. Se não o faz, então é possível que toda a sua equipe queira ir. As consequências, em geral, são previsíveis e

“A essência da empresa é a personalidade em torno da qual é criada”.

A partir disso, existem dois métodos para transferir negócios a herdeiros:

  1. Prepare a venda da empresa. Ao realizar a transação, certifique-se de que faz isso para ganhar dinheiro e obter o merecido descanso e desfrutar da sua vida. Talvez agora seja o momento de começar uma nova vida, de aprender algo novo, de escrever um livro. Você também pode organizar a venda do negócio no futuro em caso de ter consequências negativas. Então, essa venda pode ser feita por uma pessoa designada (empresa fiduciária, advogado, sócio, etc). No entanto, o valor da sua empresa vai depender da real necessidade e do valor do seu negócio. Os proprietários tendem a exagerar no valor e isso é compreensível. O negócio favorito não pode ser barato devido a todo o tempo e esforço investidos nele. É difícil escolher o melhor momento para a venda, e o assunto é sempre subjetivo. Talvez agora seja o melhor momento? Talvez você deveria vender o negócio agora se você tem um comprador real.
  2. Permita o ingresso de uma empresa administradora que irá transferir todos os elementos de gestão e influência. Esta não é uma maneira rápida e fácil. Levará pelo menos três anos. Porém, após isso você poderá aposentar-se e exercer apenas funções de supervisão. Neste caso, existe sempre a possibilidade de influenciar deliberadamente nas políticas da empresa administradora. Esta opção é boa para aqueles que desejam que seu negócio continue se desenvolvendo. Na prática, o mais provável é que se trate de uma pequena rede hoteleira ou posse de objetos comerciais, casas para locação, centros comerciais, centros de escritórios e a administração dos mesmos. A produção nem sempre é estável e, muitas vezes, os produtos que são necessários hoje, amanhã já não são necessários porque a tecnologia muda muito rapidamente. E se você ainda quiser manter a produção, é necessário criar a sua própria empresa administradora ou procurar uma que se especialize na produção e logística.

“É possível transferir a sua empresa através da criação de uma boa estrutura fiduciária.”

Agora vamos falar sobre os métodos de herança:

  1. Transmissão direta através de um testamento. As dificuldades são claras, já que a lei de herança nacional na maioria dos países, muitas vezes coloca sérios obstáculos. Em muitas jurisdições, a herança é uma base tributável, a tal ponto que alguns preferem não aceitá-la.
  2. Em alguns países, está se tentando criar um análogo da legislação de fideicomissos. Os fideicomissos são uma relação de confiança, e confiar na nossa legislação variável que não respeita o direito humano, não tem nenhum sentido, a menos que não exista outra opção.
  3. Criar um fundo na Federação Russa ou na Europa. A criação do fundo envolve riscos de confiança para o diretor, que tem todos os direitos de administração e ordens, os riscos das sanções e os procedimentos de combate à lavagem de dinheiro (uma pergunta para o seu capital).
  4. Transferência por fideicomisso. Existe uma questão de confiança na empresa fiduciária quanto à perda de controlo sobre os ativos. Mas terá que perder o controle, caso contrário, criará uma estrutura fictícia (o caso de S. Pugachev). É necessária uma confiança discricionária.
  5. Criar sua própria empresa fiduciária privada e assinar fideicomissos com ela. Para fazer isso, você precisa de um administrador que viva em Chipre e gerenciar seus ativos. De fato, este é o processo de criar um escritório familiar, que fará as tarefas não só de negócios, mas também do suporte vital da família.

Portanto, se você ou o seu chefe têm problemas de continuidade e transferência de negócios, vale a pena considerar o último ponto. Esta não é uma solução barata, mas oferece o nível de controle mais elevado que tanto desejamos e que, além disso, é imprescindível.

Você pode gastar tempo e dinheiro e consultar várias empresas que ofereçam planejamento, mas, no final de contas, tudo se resume aos pontos analisados neste artigo.

De qualquer forma, é necessário buscar assessoria de agentes competentes para determinar a estrutura do seu escritório familiar.

Comentários
WhatsApp chat